Política

Base marconista poderá ter dois candidatos

Cenário de dois candidatos marconistas é real porque José Eliton, o candidato oficial, não cresce nas pesquisas.

Em política um pingo é letra. A base marconista poderá ter dois candidatos ao governo de Goiás nesta eleição. Oficialmente ainda não foi anunciado o segundo nome, mas aliados do governador Marconi Perillo (PSDB) já admitem implicitamente a possibilidade de duas candidaturas.

Homem forte do governo Marconi, o presidente da Agetop, Jayme Rincón, disse nesta sexta-feira, 9 de fevereiro, a coluna Giro, editada pelo jornalista Caio Henrique Salgado, que não é a melhor opção a base marconista lançar duas candidaturas. “Juntos somos fortes e divididos podemos nos tornar fracos”, arremata o tucano.

Há um ano essa possibilidade não era nem ventilada pelas bandas do Palácio das Esmeraldas porque o pré-candidato oficial do governo, o vice-governador José Eliton (PSDB), estava percorrendo todo o Estado de Goiás anunciando obras do programa Goiás na Frente, mas na verdade estava aproveitando para se tornar conhecido do eleitorado. 

No entanto, a possibilidade da base lançar duas candidaturas ao governo de Goiás hoje é real e vista com bons olhos por aliados de primeira hora do governador Marconi Perillo. Afinal o candidato oficial aparece atrás dos dois candidatos da oposição – Ronaldo Caiado (DEM) e Daniel Vilela (MDB) – e a base se encontra dividida em razão da disputa pelas vagas na chapa majoritária.



O plano B dos marconistas equacionaria a questão de formação da chapa majoritária e evitaria que PSB, PSD, PTB, PP, PRB e PR saísse da órbita de Marconi Perillo, que deve renunciar o governo em abril para se candidatar ao senado.

Lideranças desses partidos abriram as portas do diálogo com Daniel Vilela e até com o radical Caiado em razão da falta de espaços na chapa governista que já tem definido os nomes de José Eliton para o governo e uma vaga no Senado para a candidatura de Perillo.

Eliton utiliza os milhares de cargos no governo para segurar esses partidos na base governista, mas na política costuma prevalecer a perspectiva de poder a longo prazo. Até agora o candidato do PSDB só tem garantido 7 meses de governo e isso é muito pouco para os partidos que ficaram 20 anos no poder com Marconi Perillo.

DOIS PRODUTOS NO MERCADO ELEITORAL

Aliado de primeira hora do governador, que prefere não se identificar, afirma que duas candidaturas não é um bicho de sete cabeças. “Uma mesma empresa lança dois produtos no mercado. Um de primeira linha e outro bom, mas que não é de primeira linha. Por que não poderíamos apresentar duas alternativas aos eleitores também?”, questiona o marconista de primeira hora. 

Essa mesma fonte revela que definitivamente José Eliton não é Marconi e que Marconi trabalha arduamente pela eleição do vice, mas que certamente não permitirá que o seu legado de trabalho caia nas mãos de um ex-aliado e hoje adversário ferrenho, leia-se Ronaldo Caiado, ou de um emedebista desde criancinha e que sempre fez oposição ao seu governo, leia-se Daniel Vilela, por causa de vaidades pessoais de quem quer seja. 

 

 

 

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *